Principais noticias 27/10/2021

Ibovespa sobe em meio à temporada de resultados e com investidores esperando por Copom


Cresce a expectativa de que o ajuste na taxa Selic, hoje em 6,25%, seja de 1,5 ponto percentual e algumas casas chegam a prever um aumento ainda maior


O Ibovespa abriu os negócios em alta na manhã desta quarta-feira (27). Os investidores têm muito a assimilar: a temporada de balanços despejou uma série de resultados corporativos entre ontem e hoje e muitos desses números vieram melhores que o esperado, sinalizando que as companhias continuam saudáveis, apesar de estarem perdendo valor de mercado com a fase turbulenta da Bolsa. Porém, o resultado mais aguardado do dia é o da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central.


Cresce a expectativa de que o ajuste na taxa Selic, hoje em 6,25%, seja de 1,5 ponto percentual e algumas casas chegam a prever um aumento ainda maior. De toda forma, os juros mais altos impactam a maioria das empresas listadas na Bolsa, pois encarecem custos de capital, principalmente das companhias que estão em processo de expansão. Por outro lado, não subir os juros de forma mais intensa agora pode trazer a percepção de descontrole sobre a inflação, o que também provoca aversão a investimentos de riscos e favorece a renda fixa, que passa a oferecer retornos maiores.


“O aumento da inflação global e a decisão do governo de mudar o arcabouço fiscal tornam a tarefa do Copom de trazer a inflação para a meta muito mais desafiadora. Os números do IPCA-15 de outubro divulgados ontem bem acima das expectativas, complicaram ainda mais o quadro. Diante desse cenário, o mercado espera que o Comitê acelere o ritmo de aperto, mas não há consenso sobre o novo ritmo”, afirma a XP, em relatório.


É nesse contexto que o mercado de ações vai operar hoje, olhando também para um outro evento que pode deixar o dia ainda mais agitado: a PEC dos precatórios. Pode acontecer nesta quarta-feira a votação da matéria, que propõe limitar o pagamento de dívidas judiciais da União e abre espaço no Orçamento para criação do Auxílio Brasil, substituto do Bolsa Família.