Principais noticias 27/09/2021

Ibovespa passa a subir em meio a virada de bancos; dólar fica estável apesar de atuação antecipada do BC





O Ibovespa opera em alta nesta segunda-feira (27) puxado pela virada das ações de bancos como Itaú (ITUB4; +1,45%) e Bradesco (BBDC3; BBDC4; ), que passam a subir depois de um início de sessão em baixa e se juntam a blue chips ligadas a commodities como Petrobras (PETR3; PETR4; +1,8%) e Vale (VALE3; +1,7%), que avançam desde o início do pregão.


Hoje o mercado repercute mais uma vez o noticiário sobre a incorporadora chinesa Evergrande, que viu suas ações valorizadas em 8,05% em Hong Kong apesar de não ter ainda se manifestado sobre o pagamento de US$ 83 bilhões em títulos que venciam na última quinta-feira (23).


Também na China, analistas temem que a crise energética do país, provocada pelo aperto da oferta de carvão e dos padrões de emissão, tenha provocado uma retração na produção industrial, com impacto no ritmo geral da atividade econômica.


Por aqui, as atenções se voltam às declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que divulgou no domingo (26) uma apresentação com avanços na reforma administrativa, que foi aprovada em comissão especial da Câmara dos Deputados, apesar de que com texto desidratado.


Na Europa, as bolsas sobem em meio às eleições na Alemanha, que deixaram tanto o SPD, partido de centro-esquerda, quanto o CDU, de centro-direita, com chances de formar maioria no Congresso. O vice-chanceler e ministro das Finanças da Alemanha, Olaf Scholz, do SPD, declarou vitória nas eleições federais do último domingo (por 25,7% dos votos ante 24,1% do CDU) e disse que o povo expressou o desejo de ver um governo entre social-democratas, liberais e verdes.


Já nos Estados Unidos, o presidente do Federal Reserve de Chicago, Charles Evans, disse que a economia americana está próxima de atingir o patamar que permitirá o início da redução nas compras mensais de ativos promovidas pelo banco central do país para estimular a economia.


Às 11h17 (horário de Brasília), o Ibovespa tinha leve alta de 0,35%, a 113.682 pontos.

Enquanto isso, o dólar comercial vira tem leve variação negativa de 0,04% a R$ 5,341 na compra e a R$ 5,342 na venda. Já o dólar futuro com vencimento em outubro registra ganhos de 0,15% a R$ 5,35.


Sobre o câmbio, o Banco Central anunciou que irá ofertar 14 mil contratos de swap cambial em leilões extraordinários. O movimento antecipa o aumento de demanda por dólares que ocorre no último trimestre em meio às remessas de dólares para o exterior e com o ajuste de overhedge dos bancos estimado entre US$ 16 bilhões e US$ 18 bilhões.


A atuação teve efeito colateral nos DIs, pois há uma interpretação entre os investidores de que o BC preferiu agir no câmbio para combater a inflação no lugar de usar a política monetária para este fim.


No mercado de juros futuros, o DI para janeiro de 2022 sobe um ponto-base a 7,14%, DI para janeiro de 2023 tem alta de seis pontos-base a 9,02%, DI para janeiro de 2025 avança 11 pontos-base a 10,14% e DI para janeiro de 2027 registra variação positiva de 12 pontos-base a 10,54%.


Voltando ao exterior, nos EUA o governo do democrata Joe Biden tenta evitar um “shutdown” do funcionamento, e a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, espera que o projeto de US$ 1 trilhão em infraestrutura seja aprovado esta semana. A forma de evitar a paralisação é levar o orçamento até o final de setembro.


Relatório Focus

Os economistas do mercado financeiro elevaram mais uma vez suas projeções para o crescimento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2021, revelou o Relatório Focus do Banco Central. De 8,35% na semana passada, agora a expectativa mediana para a inflação deste ano está em 8,45%. Para 2022 a previsão subiu de 4,10% para 4,12%.


Já em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) as projeções se mantiveram em expansão de 5,04% para 2021, mas foram reduzidas de 1,63% para 1,57% para 2022.


As estimativas para o dólar ficaram em R$ 5,20 em 2021 e avançaram de R$ 5,23 para R$ 5,24 em 2022.


Por fim, a projeção para a taxa básica de juros, Selic, manteve-se em 8,25% ao ano para 2021 e em 8,50% ao ano para 2022.


Radar corporativo


Vibra Energia (BRDT3)


A Vibra Energia (ex-BR Distribuidora) e o governo do Espírito Santo contrataram nesta sexta-feira o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para estruturar a venda conjunta de ações da Companhia de Gás do Espírito Santo (ES GÁS), informou o banco em nota à imprensa.


Criada em 2018, a ES Gás é uma empresa de economia mista em que o Espírito Santo detém 51% do capital votante e a Vibra Energia os demais 49%. A companhia capixaba é responsável pela distribuição do gás natural canalizado no Estado, atuando em diversos segmentos, totalizando mais de 60 mil unidades consumidoras.


O BNDES coordenará o projeto, que visa a desestatização da empresa, durante todas as fases, que compreendem estudos e modelagem econômico-financeira, audiência pública, realização do leilão e assinatura do contrato entre o setor público e o parceiro privado. “A Vibra e o Estado do Espírito Santo pretendem, por meio da contratação do BNDES, realizar processo de desestatização da ES GÁS, com a venda em conjunto de ações na referida companhia, o que deve trazer uma nova perspectiva de desenvolvimento das atividades de Gás no Estado, alinhada às novas iniciativas de crescimento do setor”, disse em nota o diretor comercial de B2B da Vibra Energia, Bernardo Kos Winik.


Banco Inter (BIDI11) e Stone (NASDAQ: STNE)


O Inter e a empresa de meios de pagamento StoneCo estão negociando estender um acordo de parceria atual, incluindo uma possível fusão, disse uma fonte familiarizada com o assunto ouvida pela Reuters. A Stone comprou uma fatia minoritária no Banco Inter em junho, como parte de sua estratégia de atrair clientes do banco para seus serviços de pagamentos. As negociações ocorrem no momento em que a StoneCo enfrenta uma perda em empréstimos de R$ 400 milhões com uma operação de crédito recém-lançada.


Localiza (RENT3)


A Localiza informou que o Conselho de Administração aprovou o pagamento de R$ 82,1 milhões em Juros sobre o Capital Próprio (JCP), com pagamento em 22 de novembro.


Unidas (LCAM3)


Já a Unidas aprovou R$ 53,5 milhões em JCP, com pagamento em 8 de outubro.


Grendene (GRND3)


A Grendene, dona das marcas Grendha, Melissa, Ipanema e Rider, informou que fará a construção de uma nova fábrica no Crato, Ceará, com investimentos de R$ 30 milhões, para ampliar a produção de calçados e componentes em EVA.


Hospital Mater Dei (MATD3)


O Hospital Mater Dei anunciou na sexta-feira acordo para comprar 50,1% da empresa de dados e inteligência artificial A3Data Consultoria, segundo fato relevante divulgado ao mercado.


A companhia “pagará até R$ 25,08 milhões para a aquisição secundária de ações, conforme modelos de incentivo financeiro…e 15 milhões para a aquisição primária de ações”, afirmou o Mater Dei. A operação está alinhada com a estratégia da companhia de fortalecer estrutura de tecnologia e aumentar “relevância de modelos alternativos de remuneração no seu negócio”, afirmou o Mater Dei.


Petrobras (PETR3;PETR4)


A Petrobras concluiu a venda da sua participação de 40% na empresa GásLocal para a White Martins, por 60,6 milhões de reais. Do valor total estimado da venda, R$ 56 milhões serão pagos na presente data e R$ 4,6 milhões em até 13 meses, a partir da data do fechamento do acordo, explicou a petroleira.


O acordo prevê ajustes nas condições comerciais para o fornecimento de gás pela Petrobras, na qualidade de participante do Consórcio Gemini –formado pela petroleira com White Martins e GásLocal–, até o fim de 2023, atendendo à determinação do órgão antitruste Cade.


A venda está em linha com estratégia da companhia, que vem buscando se desfazer de ativos não essenciais para focar nas atividades de petróleo em águas profundas e ultraprofundas de das bacias de Campos e Santos.


Carrefour Brasil (CRFB3)


O Carrefour Brasil previu nesta sexta-feira que sua divisão de atacarejo Atacadão, a principal geradora de receita da companhia, terá faturamento bruto de R$ 100 bilhões em 2024 ante expectativa de R$ 60 bilhões para este ano.


A companhia afirmou em fato relevante ao mercado que as projeções são baseadas na média de crescimento de 15% ao ano do Atacadão entre 2017 e 2020. Além disso, o dado de 2024 inclui receita de 2020 da rede de atacarejo Maxxi, cuja aquisição aguarda aprovação do Cade.


CCR (CCRO3)


O tráfego de veículos em rodovias da CCR tem alta de 13,6% anual no período entre 17 e 23 de setembro.


Rede D’Or (RDOR3)


A Rede D’or pediu ao Cade permissão para poder elevar participação na Qualicorp.


Fonte: InfoMoney


Criptoativos em queda, mas futuros em alta; confira análise de mercado


A última semana foi difícil para os mercados de ativos digitais, visto que as novas proibições do governo chinês ao setor cripto puxaram o mercado para baixo.


A maior e mais antiga criptomoeda do mundo, o bitcoin (BTC), terminou a semana com uma queda de aproximadamente 10%. Já a ethereum (ETH) e a cardano (ADA), segunda e terceira maiores criptomoedas, caíram cerca de 10%.


Na sexta-feira (24), dez agências governamentais chinesas, incluindo o Banco Popular da China, emitiram uma declaração conjunta, afirmando que todos os serviços ligados a criptomoedas estão proibidos no país.



Isso inclui a negociação de ativos digitais, emissão de tokens e derivativos. Além disso, o grupo de agências disse que corretoras cripto estrangeiras que oferecem serviços a clientes da China continental também são ilegais.


A proibição de cripto na China não é novidade. Reguladoras do país miraram a indústria de ativos digitais em diversas ocasiões desde 2017, com terminologias e serviços específicos sendo banidos, variando a cada vez.


No entanto, as últimas ações parecem ter sido as mais draconianas. Alguns observadores disseram que o Banco Popular da China e outras agências deixaram pouco espaço para usuários e fornecedores de serviços cripto atuarem no país.


Huobi Global, grande corretora cripto e popular entre usuários chineses, anunciou que irá suspender todas as contas de usuários chineses até o final deste ano.


Após o comunicado da nova política chinesa, o preço do bitcoin caiu cerca de 9% em quatro horas, saindo de US$ 45 mil para US$ 41,4 mil. O preço da criptomoeda se recuperou desde sexta-feira e está, atualmente, na casa dos US$ 43 mil.


Sam Bankman-Fried, CEO da corretora cripto FTX, foi convidado a expor sua opinião sobre as ações do governo chinês, em um programa do canal americano CNBC. Bankman-Fried disse que não está “muito surpreso” com as proibições.


O CEO da corretora cripto também explicou que algumas das fortes reações iniciais podem ter acontecido pela tradução “exagerada” do documento original e, embora as novas declarações tenham tido certo impacto, elas não eram “grandes novidades”.


A Bybt, fornecedora de dados sobre derivativos, informou que, ontem (26), investidores voltaram-se às posições de compra de futuros, com a atual proporção entre compra/venda estando em 52,4%/47,6%.


Isso sugere que negociadores de derivativos estão apostando que a queda brusca de preços na última sexta-feira foi uma reação exagerada. Os volumes de negociação de futuros aumentaram cerca de 17% nas últimas 24 horas.


De volta às criptomoedas, o ether se recuperou melhor que o bitcoin. O ativo teve um aumento de 11% desde a queda na sexta-feira, sendo negociado em torno de US$ 3,1 mil.

Com maior interesse de investidores institucionais, a Ethereum tem chances de ultrapassar a rede Bitcoin? (Imagem: Unsplash/Executium)

Esses ganhos foram gerados depois de um relatório do JPMorgan, o qual mostra que investidores institucionais estão se afastando de futuros de bitcoin e indo rumo a futuros de ether.


Analistas da instituição financeira dizem que futuros de bitcoin, na Bolsa Mercantil de Chicago (CME), estão sendo negociados com desconto no mercado à vista.


“Isso é um retrocesso para o bitcoin e um reflexo da baixa demanda de investidores institucionais, que tendem a usar contratos de futuros regulamentados da CME para obter exposição ao bitcoin”, escreveram os analistas do banco.

JPMorgan disse que há “uma forte divergência na demanda”, em relação a produtos da Ethereum. O banco explica que o carro-chefe dessa demanda tem sido a alta dos tokens não fungíveis (NFTs, na sigla em inglês) e os setores de finanças descentralizadas (DeFi).


Fonte: MoneyTimes


Banco Central chinês promete proteger consumidores em meio a dificuldades da Evergrande


O banco central da China prometeu proteger os consumidores expostos ao mercado imobiliário nesta segunda-feira e injetou mais dinheiro no sistema bancário, o sinal mais claro até agora de que as autoridades podem tomar medidas para conter os riscos representados pela incorporadora chinesa Evergrande.

Antes referência de uma era de empréstimos e construções na China, a Evergrande agora se tornou a garota-propaganda da crise das dívidas de incorporadoras, que deixou os investidores preocupados com sua exposição.


O Banco do Povo da China não fez menção à Evergrande no comunicado publicado em seu site, que continha apenas uma linha sobre habitação e promessas de tornar sua política monetária flexível, direcionada e adequada.



Mas, num momento delicado para a incorporadora mais endividada do mundo, sua promessa de “proteger os direitos legítimos dos consumidores de habitação” sugere o tipo de resposta que os mercados já haviam começado a esperar.


A declaração do banco central foi emitida após a reunião do Comitê de Política Monetária do terceiro trimestre. Seus comentários sobre habitação vieram em linha com comentários da liderança da Evergrande que apontam para os esforços de contenção e priorização de pequenos investidores em relação aos detentores estrangeiros de dívidas da Evergrande.


“Esperamos que qualquer impacto no sistema bancário seja administrável e que o governo se concentre nas consequências sociais de unidades habitacionais inacabadas”, disse Sheldon Chan, que administra a estratégia de títulos de crédito da T. Rowe Price na Ásia.


“O evento potencial de crédito da Evergrande, em nossa opinião, é parte de um teste de ‘sobrevivência do mais apto’ no setor imobiliário da China”, disse Linan Liu, estrategista do Deutsche Bank, em nota a clientes.


“Permitir saídas ordenadas de participantes mais fracos no setor imobiliário, embora doloroso, é necessário para melhorar as condições gerais de alavancagem no setor e trazer um pouso suave.”


Fonte: MoneyTimes




1 visualização0 comentário