Principais Noticias 21/09/2021

Bolsonaro leva a ONU defesa do tratamento precoce e crítica a medidas sanitárias


Em seu terceiro discurso na abertura da Assembleia-Geral das Nações Unidas, o presidente Jair Bolsonaro levou ao principal palco mundial a defesa do chamado “tratamento precoce” contra Covid-19 e criticou medidas sanitárias adotadas pelo mundo, apontando essas estratégias como responsáveis por inflação.


Bolsonaro afirmou não entender porque vários países e a imprensa criticam o tratamento precoce –uso de medicamentos que não tiveram sua eficácia comprovada contra o coronavírus– e afirmou que a “ciência e a história saberão julgar aqueles que foram contra”.


O presidente disse ainda ser contrário a medidas como passaporte sanitário, do tipo adotado pela cidade de Nova York, e afirmou que todos os brasileiros “que desejarem” estarão vacinados até o final do ano. Bolsonaro é o único chefe de Estado do G20, grupo das maiores economias do mundo, a não ter se vacinado.


Fonte: MoneyTimes


Na ONU, Bolsonaro diz que Brasil tem tudo o que investidor procura


O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira, em seu discurso na Assembleia-Geral da ONU, que o Brasil tem tudo o que os investidores procuram.


Procurando passar uma imagem positiva, em um momento em que o Brasil registra um dos números mais altos de casos e mortes por Covid-19 no mundo, Bolsonaro afirmou que o país recuperou sua credibilidade perante o mundo.


De olho num dos pontos mais criticados de seu governo, a política de meio ambiente, o presidente destacou que a 84% da floresta amazônica está intacta e que nenhum país do mundo tem legislação ambiental tão completa quanto a brasileira.


Fonte: MoneyTimes


Bolsonaro na ONU: “Meu governo recuperou a credibilidade externa do Brasil”


O presidente Jair Bolsonaro abriu, pela terceira vez, a assembleia geral da ONU. Sob aplausos frios e protocolares dos chefes de Estado, o ex-capitão fez um discurso muito mais focado em sua base eleitoral, do que na construção de uma imagem positiva do Brasil no exterior.


Bolsonaro repisou temas já vistos, como o de que sua eleição evitou que o Brasil mergulhasse no socialismo, que seria caracterizado pelos prejuízos das estatais e pelo uso do BNDES para financiar obras em “países comunistas”. E acrescentou: “o Brasil tem um presidente que acredita em Deus, respeita a constituição, valoriza a família e deve lealdade ao seu povo. E isso é muito.”


Sem corrupção


Envolvido em suspeitas de prevaricação, por conta de negociações entre o Ministério da Saúde e empresas que desejavam vender vacinas ao governo, e vendo seus filhos investigados por supostos esquemas de rachadinha em seus gabinetes, Bolsonaro repetiu que o governo está “há dois anos e oito meses sem qualquer caso concreto de corrupção.”



Depois de causar embaraço na diplomacia brasileira por ser o único chefe de Estado que não se vacinou para ir à assembleia da ONU, Bolsonaro atacou frontalmente os países que condenaram o chamado “tratamento precoce”, composto por um coquetel de remédios sem comprovação científica, como a cloroquina.


“Não entendemos porque muitos países se colocaram contra o tratamento precoce. A história e a ciência saberão julgar a todos”, profetizou.


Futuro verde


Na área econômica, procurou mostrar o Brasil como um destino seguro para os investimentos internacionais, com uma agricultura sustentável e uma legislação ambiental avançada. “Nenhum país do mundo possui uma legislação ambiental tão completa quanto o nosso, e que deve servir de exemplo para os outros países do mundo”, afirmou.


Em seguida, emendou: “o futuro do emprego verde está no Brasil, com sua agricultura sustentável e energias renováveis”.


Bolsonaro também abordou as manifestações de Sete de Setembro, quando atacou o STF e ameaçou não cumprir decisões judiciais. O presidente afirmou que os atos, que repercutiram por todo o mundo e levantaram dúvidas sobre a saúde da democracia brasileira, foram demonstrações “pacíficas” de cidadãos para “defender a democracia e apoiar o meu governo.”


Por último Bolsonaro afirmou que seu governo “recuperou a credibilidade externa” do país.


Fonte: MoneyTimes


Ações: Méliuz, Via e Banco Pan lideram entre as altas no Ibovespa nesta manhã


O Ibovespa tenta se recuperar da queda de ontem, subindo 0,64%, aos 109.541 pontos, no início desta manhã, às 10h30. A alta é puxada pela Méliuz (SA:CASH3), Via (SA:VIIA3) e Banco Pan (SA:BPAN4). Na outra ponta, Raia Drogasil (SA:RADL3), CSN (SA:CSNA3) e Gerdau (SA:GGBR4) lideram entre as baixas.


Cosan (SA:CSAN3) - O conglomerado Cosan fechou contrato com a Mansilla Participações para comprar uma fatia de 47% na gestora de propriedades agrícolas Radar por um valor líquido de R$ 1,479 bilhão. As ações avançam 0,61%,a R$ 23,16.


BrasilAgro (SA:AGRO3) - A Brasilagro vendeu, por R$ 130,1 milhões, parte da Fazenda Rio do Meio, localizada no município de Correntina (BA), conforme fato relevante divulgado ao mercado. Segundo o comunicado, o valor do negócio é equivalente a 250 sacas de soja, cerca de 45,5 mil reais, por hectare útil. Os papéis disparam 2,49%, a R$ 28,44.


Energisa (SA:ENGI4) - A Energisa contratou um financiamento de R$ 166 milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o empreendimento da Energisa Tocantins Transmissora (ETT). O custo desse financiamento é de IPCA mais 4,90% ao ano, com prazo de 238 meses, sendo 38 de carência e 200 meses de pagamentos mensais de juros e amortização. As ações sobem 1,96%, a R$ 15,09.


Raizen (SA:RAIZ4) - A Raízen anunciou sua primeira venda de longo prazo para gás natural renovável, ou biometano, com a Yara Brasil Fertilizantes, em um contrato de cinco anos, conforme comunicado divulgado nesta segunda-feira. O volume envolvido na transação é de 20 mil metros cúbicos por dia, acrescentou a companhia que é controlada pela Cosan. Os papéis se valorizam 0,84%, a R$ 7,17.


Braskem (SA:BRKM5) - A Novonor informou à Braskem que ainda não tomou uma decisão sobre a forma pela qual vai se desfazer de sua participação de controle na companhia, afirmou a petroquímica em comunicado ao mercado nesta segunda-feira. As ações ganham 1,10%, a R$ 59,03.


Gol (SA:GOLL4) - A Gol terá malha de aeronaves elétricas do tipo eVTOL, com previsão de início de operações em meados de 2025. A companhia aérea assinou, em conjunto com o Grupo Comporte, do acionista controlador, protocolo de intenções não-vinculante com a Avolon para aquisição e/ou arrendamento de 250 aeronaves. Os papéis sobem 1,96%, a R$ 19,24.


Petz (SA:PETZ3) - A Petz informou que recebeu a carta de renúncia de Diogo Ugayama Bassi ao cargo de Diretor Financeiro (CFO) e de Relações com Investidores. O conselho de administração elegeu Aline Ferreira Penna Peli para as funções. Os ativos disparam 2,63%, a R$ 26,17.


Rumo (SA:RAIL3) - A Rumo Logística assinou um contrato para a construção da primeira ferrovia estadual de Mato Grosso, com investimento estimado entre R$ 9 bilhões e R$ 11 bilhões. O trecho será construído no regime de autorização. Diferentemente das concessões, o modelo prevê que 100% dos riscos fiquem nas mãos da iniciativa privada. As ações recuam 0,35%, a R$ 17,25.


Hering (SA:HGTX3) - A Cia Hering informa que a Verde Asset Management passou a deter 16.339.400 ações, equivalente a 10,05% dos papéis emitidos pela companhia. A participação é representada exclusivamente por ações ordinárias detidas à vista.


CVC (SA:CVCB3) - A CVC anunciou que concluiu a homologação de aumento de capital no valor de R$ 454,2 milhões por meio da emissão de aproximadamente 23,8 milhões de novas ações ordinárias. No decorrer da capitalização, a agência de classificação de risco Standard and Poor’s Ratings Services (S&P) elevou, em 19 de agosto, o rating corporativo da Companhia de brB para brBB na Escala Nacional Brasil, com perspectiva estável. Os papéis disparam 2,18%, a R$ 21,05.


TC (SA:TRAD3) - O TC ( Traders Club ) aprovou o programa de recompra de ações, que deve chegar a 1 milhão de ações ordinárias. O prazo para a realização de compra é de 12 meses, a partir de 21 de setembro. Essas ações serão mantidas na tesouraria. Os ativos avançam 0,82%, a R$ 6,12.


Petrobras (SA:PETR4) - O novo plano estratégico da Petrobras, que vai englobar o período entre 2022 e 2026, trará iniciativas de descarbonização, como um programa de reflorestamento de áreas degradadas. As ações sobem 0,85%, a R$ 24,86.


Fonte: InvestingBrasil.com

Você sabe quais são as diferentes gerações de criptomoedas?



Em um relatório recente, a equipe do Inter Research fala sobre as diferentes gerações de criptomoedas, comparando-as com as gerações X, Y e Z, que classifica o perfil dos investidores.


O Inter classifica o bitcoin (BTC) como o ativo da primeira geração, pois foi a primeira criptomoeda a ser lançada no mundo, em 2009.


Apesar de sua volatilidade, atuou com a precursora da tecnologia blockchain, onde milhões de pessoas podem transacionar 24 horas por dia ou a sete dias por semana e todos os dados estão publicamente disponíveis.



Embora o protocolo Bitcoin demore para implementar atualizações, o mérito está em sua rede extremamente segura, já que não passa por constantes mudanças, permitindo que usuários negociem sem a intervenção de intermediários.


Já a criptomoeda de segunda geração é o ether (ETH), pois a rede Ethereum é responsável pelo grande desenvolvimento de aplicações financeiras, como os famosos tokens não fungíveis (NFTs).


Todo esse desenvolvimento se deu graças à utilização de contratos autônomos (ou “smart contracts”), que executam, de forma automática, diversas funções pré-estabelecidas.

Orlando Telles: “Winner takes all” – entenda o que são plataformas de contratos inteligentes



Inter menciona o “problema do oráculo”, em que informações geradas pelo próprio blockchain podem não estar acessíveis por